.

.

.

.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Câmara de Vereadores de Valença recebeu premiado espetáculo O Castelo da Torre

O Castelo da Torre, inspirado na trajetória da família Garcia D’Ávila e vencedor do Prêmio Braskem de Teatro – Melhor Direção, foi apresentado nos municípios de Cachoeira, Itaberaba, Amargosa e Valença
A Câmara de Vereadores de Valença abrigou o espetáculo vencedor do Prêmio Braskem de Teatro, na categoria Melhor Direção, O Castelo da Torre, na última quinta-feira, dia 25 de agosto. A obra circulou pelo interior do estado, passando pelas cidades Cachoeira, Itaberaba, Amargosa e encerrou a circulação em Valença, no período de 17 a 25 de agosto. O público local pôde desfrutar de um trabalho artístico diferenciado, que fala da história do Brasil e da Bahia, relacionando a voz dos oprimidos com alguns dos personagens da família Garcia D´Ávila, que durante três séculos desbravou todo nordeste brasileiro. Percorrendo as dependências da Câmara, as cenas aconteceram de modo itinerante, envolvendo o público numa obra de forte emoção. Considerado um dos mais importantes da cena teatral de Salvador, o Grupo Vilavox pela primeira vez se apresentou em Valença. A trupe já circulou por todo país com seus espetáculos teatrais, contudo é a primeira vez que o grupo se apresentou nessas cidades, possibilitando conhecer os artistas e as realidades das artes cênicas destes locais. Os municípios escolhidos foram fruto de um mapeamento que o Grupo Vilavox fez das cidades que sofreram as influências diretas da Família Garcia D’Ávila, como o Recôncavo e a Chapada Diamantina (que foi inicialmente identificada por uma parte da família), fazendo uma relação direta com a história desses locais. “Os casarões em que fizemos apresentações são espaços tombados, históricos e prédios públicos, com total implicação entre memória e poder político” acrescenta Fred Alvin, também ator e produtor do grupo.

A sétima montagem do grupo Vilavox teve como inspiração a história de opressão vivida por negros e índios no Brasil.  Partindo inicialmente da história da  família Garcia D´Ávila, grande latifundiária desde os tempos da colônia, com grande concentração de poder econômico, político e militar e que construiu a maior edificação colonial, ainda hoje com suas ruínas preservadas na Praia do Forte, a peça, com texto desenvolvido pelo grupo Vilavox em processo colaborativo e redação final do dramaturgo Marcio Marciano, prioriza dar voz aos negros e índios, buscando mostrar uma visão dos oprimidos durante o processo histórico da formação de nossa sociedade. Itinerante, apresentada invariavelmente em casarões antigos, O Castelo da Torre, dirigida por Meran Vargens é uma obra onde a nossa memória é invocada a flertar com a atualidade, para expor de forma crua nossas maiores atrocidades ao longo de mais de 300 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário