.

.

.

.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Hildécio Meireles pede que governo reveja erro e restabeleça o Derba

No dia em que se é comemorado o Dia dos Rodoviários da Bahia, funcionários do extinto Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba), o deputado estadual Hildécio Meireles (PMDB) em ato comemorativo, no auditório jornalista Jorge Calmon, da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), cobrou que o Governo do Estado reveja o posicionamento de extinção de órgão tão importante para o desenvolvimento econômico da Bahia e, mais além que o mesmo seja restabelecido. De acordo com Hildécio Meireles, que é presidente da comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo: “nada melhor do que uma data como essa, para evidenciar, mais uma vez, o erro cometido pelo Governo do Estado ao extinguir um órgão que durante sua existência foi forte indutor do desenvolvimento econômico do Estado e conclamar por reparações”, disse, sendo aplaudido pelos servidores que compareceram em peso e elencaram muitos impasses ainda enfrentados, a exemplo do não cumprimento de decisões judiciais. “E estamos falando de aspectos muito mais graves, que envolvem vidas. Basta viajar pelas estradas baianas para ver o péssimo estado em que elas se encontram, por falta de manutenção, problema que se agravou com o fim do Derba”, frisou, citando as estradas e rodovias de sua região, o baixo sul da Bahia, nas quais trafega todas as semanas. “De Bom-Despacho, na Ilha de Itaparica, a Camamu, as estradas estão esburacadas”, apontou. Ele disse que, na semana passada saiu de Valença a Nazaré, um trecho de apenas 40 km, e viu de cinco a seis veículos parados na estrada, que não tem acostamento com os pneus furados devido aos buracos na pista. “Isto à noite, colocando motoristas e passageiros sob risco”, acrescentou, conclamando pela sensibilidade do governador.
CARTA DA BAHIA
O presidente da “Associação Sindical dos Servidores do Derba (Sasderba), Nilton Borges Ramos, aproveitou a oportunidade para apresentar a Carta da Bahia, onde os funcionários apelam às autoridades competentes, principalmente ao governador Rui Costa paras que, “à luz da razão e de uma reflexão mais ponderada, possam, de fato, enxergar, com meridiana clareza, o mau passo que deram com a extinção do Derba”.
No documento, eles advertem que “o Brasil vive, hoje, uma situação de desmonte, desvalorização, esvaziamento e até extinção dos Departamentos Regionais de Estradas de Rodagem (DERs), “como, lamentavelmente ocorreu na Bahia, abrindo caminho para terceirização das obras de infraestrutura rodoviária, para a multiplicação dos pedágios e também para a privatização das rodovias, com a entrega das melhores estradas para a iniciativa privada”

“É confirmado que a extinção do Derba originou um imenso vazio com relação à responsabilidade e ao dever de prevenção , conservação , melhoramento e construção das rodovias. Vazio que este que, poderá acarretar graves prejuízos à população e ao erário público ,haja visto que os quase 20 mil Kms da malha rodoviária estadual, mais as pontes, as sedes das vinte Residências de Manutenção e os equipamentos, totalizam um patrimônio avaliado em torno de R$ 30 bilhões e que está sendo criminosamente dilapidado”, concluiu Borges.
Compuseram a mesa, além de Nilton Borges; Adolfo Garrido, presidente da Federação Sindical dos Servidores dos Departamentos de Estradas e Rodagens do Brasil; João domingos, presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil; Lineu Neves Mazano, Secretário Geral da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil e Henrique Luduvice, presidente da Associação Brasileira dos Departamentos Estaduais de Estradas e Rodagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário