.

.

.

.

sábado, 14 de abril de 2018

Polícia indicia 3 pessoas por acidente com lancha em Mar Grande

Oito meses após a maior tragédia no mar da Bahia nos últimos tempos, as respostas começam a surgir. A Polícia Civil indiciou três pessoas pelo acidente com lancha Cavalo Marinho I, que deixou 19 mortos e 74 feridos, em agosto do ano passado.  O comandante da embarcação Osvaldo Coelho Barreto, o engenheiro naval Henrique José Caribé Ribeiro e o proprietário da CL Transporte Marítimo, dona da embarcação, Lívio Garcia Galvão. Todos vão responder por homicídio culposo (sem intenção de matar) e lesão corporal culposa. As informações foram divulgadas na manhã de ontem, durante coletiva de imprensa na sede da Polícia Civil, na Piedade, em Salvador.  O delegado Ricardo Amorim, titular da 24ª Delegacia Territorial (DT), em Vera Cruz, e a diretora do Departamento de Polícia Metropolitana, Fernanda Porfírio,  apresentaram o resultado do inquérito policial que apurou o acidente.  A Marinha e a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), órgãos responsáveis por fiscalizar o transporte marítimo, não foram responsabilizadas. Durante as investigações, 135 pessoas foram ouvidas. Laudos emitidos pela Marinha, Departamento de Polícia Técnica (DPT) e pelo engenheiro naval contratado pela CL Transporte Marítimo para atestar as condições de navegação da lancha ajudaram a compor o inquérito, assim como um relatório do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que aponta o comandante da embarcação como vítima.  Por Jordânia Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário