.

.

.

.

terça-feira, 15 de maio de 2018

REGIÃO: Cultura da comunidade quilombola Laranjeira é tema de Mostra Cultural em Igrapiúna, nesta sexta (18)

Depois de possibilitar a multiplicação de saberes e fazeres da cultura quilombola por meio de oficinas facilitadas por moradores da Comunidade de Laranjeira, o projeto Comunidade da Laranjeira: Memória Quilombola no Baixo Sul da Bahia vai realizar uma Mostra Cultural na próxima sexta-feira (18), como resultado do que foi realizado durantes as aulas. O evento acontece de 9h às 16h, no Centro de Cultura Enedina Almeida Dócio, em Igrapiúna. Na programação, além da feira de artesanato quilombola que será realizada durante todo o dia, haverá apresentação do grupo Zabelinha e o Enrolador (9h e 13h30); lançamento e exibição do documentário "Comunidade Laranjeira" (10h e 14h); a Roda de conversa "Saberes e Fazeres Quilombola", com mediação de Perivane Santos da Silva, palestrantes Egnaldo Rocha e Martinho Conceição (10h20); Roda de conversa "História e Cultura Afro-Brasileira na sala de aula", mediada por Cleyton Pinto e com palestra de Rosenita Santos da Luz e professora Eliana Esmeralda (14h20). A professora da Universidade Estadual da Bahia, Mille Fernandes, participa dos diálogos, que serão seguidos de debates. Saiba mais em www. quilombolasdalaranjeira.com.br Laranjeira, localidade rural de Igrapiúna, é dotada de tradições e práticas culturais ancestrais, como danças e cantos da Zabelinha e o Enrolador; artesanato à base de cipó - cestos, panacuns, manzuás e samburá; e práticas agrícolas que fazem da comunidade um exemplo singular da relação entre meio ambiente e cultura. Para a multiplicação desses saberes e fazeres, o projeto contemplou, em sua primeira etapa, em abril, a participação de 150 alunos da Escola Idalina, localizada na própria comunidade, em quatro módulos: Oficina de Cultura Quilombola: Oralidade e Tradições Culturais de Matriz Africana; Confecção de artesanato quilombola; Canto e Dança Tradicionais; e Cultura e Meio Ambiente em Comunidades Tradicionais. Durante os encontros, foram gerados conteúdos que servirão de apoio ao ensino de história e cultura afro-brasileiras (Lei 10.639/03) por meio de uma Cartilha e de um mini-documentário sobre cultura quilombola. Ambos serão lançados na Mostra Cultural, que é a culminância do projeto. Para dona Maria Benedita da Conceição, oficineira de Artesanato, as oficinas foram uma oportunidade de passar adiante os conhecimentos adquiridos ao longo de seus 73 anos vida. "Fiquei muito feliz ensinando os alunos e vendo o interesse deles em aprender a fazer esteiras. Me senti uma professora", conta. A coordenadora pedagógica da Escola Idalina, Elizabete Souza, comemora o fortalecimento de vínculos de comunicação na troca de vivências entre os moradores da comunidade e os jovens estudantes, e a possibilidade de preservação dos saberes e fazeres. "Foi gratificante perceber o envolvimento e o interesse dos estudantes nas atividades propostas. Acredito que um projeto como este, que trabalha a partir do contexto local do aluno e valoriza sua cultura, é imprescindível para a construção de uma aprendizagem significativa", pontua. O projeto Comunidade da Laranjeira: Memória Quilombola no Baixo Sul da Bahia foi selecionado no Edital Setorial de 2016 e tem apoio financeiro do Governo do Estado, por meio do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Centro de Culturas Populares e Identitárias e Secretaria de Cultura da Bahia. Conta também com apoio do Centro de Documentação e Memória Regional da Universidade Estadual de Santa Cruz (CEDOC/UESC), da Secretaria de Educação de Igrapiúna e do Núcleo Territorial de Educação (NTE) 6.

Nenhum comentário:

Postar um comentário