.

.

.

.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

VALENÇA: SAAE LANÇARÁ PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE MATA CILIAR

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Valença, lançará nos próximos dias o Programa de Recuperação de Mata Ciliar. A atividade será regida pelo Gabinete da Direção da instituição e será comandada pelo setor de preservação e conscientização ambiental. O programa destina-se a restaurar a vegetação às margens dos cursos d'água nas bacias hidrográficas dos rios que o SAAE faz captação para fornecimento de água às residências e deve ser desenvolvido durante anos em módulos. A primeira etapa vai atingir a Estação de Tratamento de Água – ETA, localizada na sede do município, e deverá seguir para as demais ETA’s de propriedade de autarquia. Foi traçado o objetivo de plantio de milhares de mudas de espécies nativas por ano, com a previsão de que sejam recuperados uma alta extensão de hectares por ano.Importância da mata ciliar A mata ciliar, também chamada de mata de galeria ou floresta ripária, é aquela vegetação que ocorre nas margens dos recursos hídricos. É considerada pelo Código Florestal Federal (Lei 4771/65) como área de proteção permanente, mas nem por isso deixou de sofrer degradação. A reconstituição e preservação de matas ciliares é fundamental para a qualidade e o volume das águas e para o equilíbrio dos ecossistemas aquáticos, já que essa vegetação funciona como filtro ambiental, retendo poluentes e sedimentos que chegariam aos cursos d'água. Portanto, a mata de galeria protege contra a erosão das ribanceiras e o consequente assoreamento dos recursos hídricos. Também proporciona refúgio e alimento à fauna silvestre e auxilia na regularização e preservação de nascentes. Entre os resultados que o SAAE espera com o Programa de Recuperação de Mata Ciliar, além de diminuir os processos de erosão e assoreamento no leito dos rios, melhorando a qualidade e a quantidade dos recursos hídricos, estão o aumento da infiltração das águas provenientes das chuvas para o abastecimento dos lençóis freáticos e a regularização da vazão das águas superficiais pela redução de sua velocidade de escoamento. Também objetiva que sejam formados corredores naturais que garantam o fluxo entre populações de animais silvestres que sofreram fragmentação e isolamento pela perda de seus habitats e, ainda, fomentar a educação ambiental e conscientizar os proprietários rurais sobre a importância da manutenção da biodiversidade.
*Colaborou a bióloga Gisela Baia / Por: Assessoria de Serviços de Gestão do SAAE
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário