.

.

.

.

sábado, 23 de fevereiro de 2019

SAAE DIALOGA COM PRESIDENTES DE ASSOCIAÇÕES DE BAIRROS E SINDICATOS DE VALENÇA

A sala de reuniões da Federação Municipal das Associações de Bairros de Valença – FEMANVA, ficou lotada de representantes dos mais diversos bairros e outros segmentos do município para receber a diretora do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Valença – SAAE, em reunião comandada pelo presidente da instituição, Romilson Muniz. Na pauta, os principais problemas nos bairros do município, como cobrança de alto custo das tarifas, questionamento sobre modelo de cobrança, presidentes ainda reclamaram sobre situações de residências com alto número de moradores e cobrança irrisória, bem como residências que se abastecem através de desvio de abastecimento – conhecido gato. Outra pauta discutida foi acerca do tratamento de esgoto, que segundo os representantes da população existe muito descaso com o Rio Una. Após as dezenas de reclamações, Rosemary Paixão respondeu aos questionamentos emanados e declarou que existem muitos problemas emanados pela ausência de chuvas. “O Rio que fornece água para Cajaíba secou. Cajaíba passa por seu pior momento, mas isso não é culpa nossa. A matéria prima que utilizamos esta escassa em razão da estação – verão – que estamos ultrapassando”, defendeu. A diretora ainda apresentou o novo modelo de tratamento da água para fornecimento no município de Valença, que é atualmente a base de carvão ativado, segundo ela, um investimento de mais de um milhão de reais. Na sede do município a diretora explanou que criou plano de contenção, com força-tarefa para instalação de uma nova barragem a fim de elevar o nível para captação. Questionada ainda sobre os cuidados que tem sido realizados para manutenção proteção da água, Paixão exibiu o projeto de recuperação de matas ciliares, realizado em parceria com a secretaria municipal de Meio Ambiente – SEMA, que irá plantar nas margens do rio 4 mil mudas de plantas e criação de uma cerca para retenção do espaço e possíveis danos a água. “O gado pastoreia naquela área, que é privada e os proprietários não se negam em ajudar, são 54 anos de devastação sem reposição. Vamos isolar as margens com eucalipto e plantas nativas serão plantadas”, disse. Como resposta sobre o questionamento do projeto de Tarifa Social, foi explanado pela chefe da Autarquia que o texto foi enviado para a Câmara de Vereadores de Valença, mas por questões de enquadramento na reposição do desconto ofertado a população não foi aceito pelos edis, ou seja, cobranças deveriam ser feitas a uma gama social que poderia pagar. Foi especificado que em caso de assunção do serviço pela Empresa Baiana de Saneamento de Águas S.A – Embasa, a tarifa de esgoto imediatamente seria implantada, elevando algumas tarifas de 50% a 80% do valor, uma vez que eles criariam posteriormente o sistema de tratamento para descarte no principal rio do município. Os buracos criados pelo SAAE também foram pauta, e foi justificado pela administradora que não há possibilidade de estocar asfalto quente, uma vez que existem proibições legais para a ação, contudo Paixão informou que será adquirida 35 toneladas do produto para reposição dos danos causados para melhoria da comunidade.Finalizando sua participação Rosemary lamentou o estouro de canos em determinados pontos da cidade e explanou que a problemática dar-se-á em razão da instalação um novo reservatório, que quando construído não teve acoplamento de um limitador de pressão, equipamento que nos próximos dias será instalado a fim de evitar prejuízos. “Para mim a direção do SAAE esta trabalhando”, definiu Romilson Muniz ao finalizar a reunião. Segundo ele a direção da autarquia tem primado pelas provas e célere atendimento nas demandas realizadas pelas instituições. Por: Assessoria de Serviços de Gestão do SAAE

Nenhum comentário:

Postar um comentário